PROJECTO LUCUNGA

RESUMO DO PROJECTO

Participação majoritária em uma (1) concessão para exploração (título de exploração) que engloba aproximadamente 311.5km² e uma (1) permissão para mineração que engloba uma área de aproximadamente 100km² na Província Zaire, região norte de Angola.

Contém um recurso indicado e inferido não conforme de 215Mt a conter 9.56% de P2O5.

Mineralização próxima da superfície – compatível com lavra de superfície a céu aberto (livre escavação)

Depósitos aluviais de fosfato, que consistem em quartzo e cascalho fosfático em uma matriz fina de solos e lama lacustre.

Localizado a aproximadamente 250km ao norte de Luanda e 120km ao sul de Soyo.

Rocha fosfática de alta solubilidade, o que a torna potencialmente apropriada para o aproveitamento direto em produtos e superfosfato (SSP) nos mercados local e regional.

VISÃO GERAL

A Minbos tem participação majoritária no Projecto de Fosfatos Lucunga, que consiste em um (1) título de exploração e uma (1) permissão para mineração, abrangendo uma área total de aproximadamente 411.5km² na Província Zaire, região norte de Angola.

O Projecto engloba as prospecções de Quindonacaxa Central, Quindonacaxa NE, Quindonacaxa SW, Quindonacaxa IR, RS Coco Grande, Lendiacolo e Coluge Tando. O Projecto Lucunga está localizado nas adjacências de uma grande autoestrada que está a ser construída entre a capital de Angola (Luanda) e o Porto de Soyo, situado a aproximadamente 120km² ao Norte do Projecto Lucunga. A conclusão da obra está programada para o final de 2017. Linhas de transmissão de alta voltagem que fornecem energia para Soyo atravessam o Projecto Lucunga. O Porto Soyo está interligado a um campo de gás offshore e há gás disponível para consumo.

O Projecto se trata de um depósito de fosfato aluvial, que consiste em quartzo e cascalho fosfático em uma matriz fina de solos ou lama lacustre. Mineralização fosfática está contida predominantemente em sedimentos superiores do Eoceno e Plio-Pleistoceno na Bacia do Congo.

Um recurso mineral não-JORC (2012) conforme no total de 215 Mt a conter 9.56% de P2O5 foi gerado em 2012, após a conclusão da campanha de perfuração de 2012-2012. O programa de perfuração 2010-2012, que tinha o objetivo de verificar o recurso previamente calculado, abrangeu todas as áreas de prospecção Lucunga (Quindonacaxa, RS, Coco Grande e Coluge Tando), com exceção de Lendiacolo.